Namoro com mulheres adultas

Devo ir embora para o Canadá?

2020.05.21 07:57 Random_Name_7 Devo ir embora para o Canadá?

Antes de tudo queria dizer que isso é bem longo e metade desabafo, e eu não escrevo super bem. Caso decida ler, obrigado! Se não, tudo bem também, valeu por ler até aqui!
Primeiro, eu queria falar que eu amo o Brasil. É meu país, minha casa. Eu amo a cultura, a natureza, o clima, a língua. Porém... Bom, vocês todos estão a par da situação atual, e é muito frustrante estar em um meio que sinto que meus esforços são inúteis, e sou totalmente incapaz de mudar a situação. É muito frustrante ter que arriscar minha perspectiva de ascenção social, meus sonhos de ter uma casa, filhos, me casar, ter um bom emprego... Por viver em um país preso em um ciclo de crises e má administração.
Uma questão que me preocupa muito atualmente é a completa falta de preparação para a crise que vem aí. Ninguém nem fala dela, enquanto isso outros governos não só diminuem os impactos sociais do vírus mas já tem um plano traçado para como lidar com a "aftermath". Um dos grupos que mais vai sofrer com isso é a geração que vai tentar entrar no mercado e na vida adulta agora, a minha geração.
Eu penso em ir morar no Canadá.
Algumas coisas que considero:
Positivos:
.Estudo engenharia de produção na ufmg, tenho 1 artigo publicado atualmente e objetivo ser professor, portanto quero fazer tanto mestrado quanto doutorado. Meu pai, professor na UFMG, me guia muito. Essa profissão de "industrial engineering" é particularmente procurada lá fora, juntamente com professores da área, também é uma área com conhecimento universal, aprendemos a mesma coisa aqui e em outro país, diferente de arquitetura ou direito por ex. Isso implica em uma perspectiva de trabalho decente lá fora, ainda mais se decidir fazer mestrado/doutorado no país que quiser morar.
.A perspectiva de crescimento do Canadá é infinitamente maior que a do Brasil, a qualidade de vida em praticamente todos os aspectos também é. Não me dá vontade de chorar ao ler sobre a política de lá.
. O Canadá é um país cheio de imigrantes e com uma incidência menor de xenofobia que praticamente qualquer outro lugar do mundo. Isso importa particularmente pra mim que sou negro e tenho muito orgulho disso.
.Praticamente todo mundo que foi me diz que vale a pena.
Negativos:
.Eu namoro a 3 anos, ambos temos 21 atualmente, e eu afirmo que amo essa mulher. Sim, somos jovens,porém eu não tenho dúvidas do que quero pra minha vida, quero estar junto dela e ter uma família com ela. Conversei sobre isso, e ela iria junto, com medo e relutante, porém iria. Ela é muito ligada a amigos que tem aqui, a família dela... E com certeza fariam uma falta enorme, além do fato de que as pessoas no Canadá são menos amigáveis, talvez não encontrasse amigos aqui rapidamente. Além disso, ela faz dois cursos: arquitetura e design, tendo arq como principal. Como disse antes no texto, arquitetura é diferente lá e talvez ela tivesse que voltar a estudar após se formar, algo que ela realmente não quer, pra poder praticar a profissão. Eu tenho medo de machucar ela com isso tudo. Eu não iria sem ela. Prefiro ficar aqui com ela que ir sem.
.Li várias histórias de pessoas muito qualificadas que foram pra lá e não conseguiram emprego. Eu estaria trocando minha vida muito bem estruturada aqui para ir pra lá e tomar esse risco enorme, algo bem apavorante.
.O clima do Brasil é um sonho, o de lá definitivamente não é, isso me afeta bastante, juntamente com minha namorada.
. Invariavelmente da falta de xenofobia, eu sei, por experiência de visitar outros países e de diversos relatos de quem mora lá fora, que você sempre é um estrangeiro. Você sempre se sente visitando a casa de alguém... Não parece ser uma boa sensação.
. Todo processo para conseguir imigrar é complicado, porém eu acredito que eu e minha namorada não teríamos muitos problemas com isso. Não deixa de ser complicado e tenso.
É isso eu acho, eu só gostaria de pedir a opinião de vocês sobre o que fariam no meu lugar, o que pensam sobre, outros pontos negativos/positivos que vêem. Desculpe o texto longo, eu não escrevo bem e definitivamente não sei escrever de forma concisa.
submitted by Random_Name_7 to brasil [link] [comments]


2020.03.25 20:41 Upa-upa-puxadote Arrufos em Alto-mar

A sereia atonou até à cinta, de rompante. Com os punhos amuados, maltratou a frol das ondas, chapinhando com veemência. Uma vaga mais forte encapelou-se, mas a sereia, graciosa e lesta, esgueirou-se ao arrastão. Desenvolta, sacudiu os cabelos cerúleos, que chibataram o ar, com um rasto de respingos salgados. Então gorjeou para o navio, para que o Corta-línguas traduzisse.
«Então?» instou o fidalgo, debruçado sobre a amurada, rabeando os olhos entre a sereia e o Corta-línguas «Qual é a resposta dela?»
Engoliu em seco. Já tinha os cantos da boca inchados e vermelhos, com boqueiras. Suspirou e, num tugido, acanhado e cabisbaixo, explicou:
«Ela recusa, senhor. Diz que não quer…»
«Mas explicaste-lhe que a amo? Disseste-lhe que não suporto a ideia de viver sem ela? Que a quero desposar, a ela e a mais ninguém?» teimou o fidalgo, tomando o Corta-línguas pelos colarinhos à força e obrigando-o a arrostá-lo de perto.
«Sim, meu amo», afiançou fitando-o, amedrontado.
«E ela quê?»
«Não quer…» encolheu os ombros, esmorecendo-lhe a voz.
«Diz-lhe outra vez, caramba!» exaltou-se o jovem nobre, arrojando-o contra a amurada da embarcação.
O Corta-línguas expirou fundo. Procurou recompor-se, como pôde. Deitou dois dedos aos cantos dos lábios, esbeiçou, e soltou um trinado. Esmerou-se por encontrar as palavras certas, os tons mais adequados para veicular os votos de amor do nobre.
A sereia, porém, atalhou-lhe a cantiga. Chapou as águas com a cauda.
«♫ Escusas de traduzir… Já sei o que é. Está a dizer que me ama, outra vez, não é? Põe-se sempre com olhinhos de carneirinho mal-morto, quando diz que me ama…♫» bufou a sereia, cruzando os braços e deitando-se de lado sobre as águas que, entretanto, haviam serenado. Apartou os cabelos da frente dos olhos e relanceou para Duque, sondando-o. «♫ Ele aceitou, ao menos?» Inquiriu a mulher-peixe.
«♬ Hã… não… nem por isso ♬»
«♫Olha, temos pena ♫», resmungou. Sem meias-medidas, deu um salto de golfinho à rectaguarda, e embrenhou-se nas profundezas, com um chapão aparatoso, cortando abruptamente com a conversa.
«Então, ela que respondeu?» tornou o Duque.
«Que é uma pena»
« "uma pena”? Como assim “uma pena”?»
«Diria que vos estava a rejeitar, meu senhor»
«Como dizes?» atroou o fidalgo, o sobrolho içado de indignação «A mim? Rejeitar-me, a mim?» recachou, deitando uma mão ao peito com afectada teatralidade. Depois, como se a ideia se lhe afigurasse um absurdo ridículo, bufou uma gargalhada abafada. «Qual quê! Foste tu!» rematou, empurrando o Corta-línguas contra a amurada. «Seu burgesso», tornando a tomar o intérprete pelos colarinhos «Foste tu que a insultaste, de certeza. Foi alguma cadelice que lhe disseste. Foi a ti que ela rejeitou!». Agarrou o Corta-línguas pelo cachaço e, numa guinada, voltou-o e debruçou-o sobre a amurada, pronto a larga-lo borda fora.
«Fica sabendo, há anos que a namoro. Anos.» frisou «E nunca me rejeitou. Nunca me dirigiu, se não sorrisos e meneios».
«Perdão, senhor. Mil perdões… tenha piedade» o Corta-línguas desdobrava-se em desculpas. A fola das ondas cada vez mais próxima, abafava-lhe a voz.
«Meu amo» interrompeu o Capitão da embarcação
«Sim?!» respostou, sem se dignar a encará-lo «Estou ocupado» acrescentou, entredentes, esboçando um sorriso de fera.
«Os homens da chusma têm fateixas e redes. Com a Sua vénia, facilmente a apanhamos» informou, secamente
O Duque largou o Corta-línguas. E pôs-se a congeminar.
O Corta-línguas apeou-se. Afastou-se da amurada e, ainda ofegante do susto, advertiu o fidalgo impetuoso, munido de uma coragem que desconhecia possuir
«Se o fizerdes, meu amo, ela nunca vos perdoará. Nenhuma mulher, nem as que são meio-peixe, se quer ver cativa. Guardar-vos-á rancor.» os olhos do fidalgo relancearam para o Corta-línguas, as pupilas trémulas. «As sereias cativas acabam por morrer subitamente, senhor. É sabido. Desfalecem, vítimas de banzo do mar e melancolia do cárcere. Não o façais. Crede-me.» asseverou o Corta-línguas.
«Amo-a» repetiu o fidalgo «Quero-a por esposa. Mas quero-a com pernas, não com rabo de peixe. E é possível» expendeu, deitando a mão ao interior do jaqueta de onde sacou uma garrafa de vidro da boémia «com este elixir- garantiram-mo, com certeza absoluta- ela há-de perder o rabo de peixe e ganhar pernas. Sofridamente, é certo.», reconheceu «Mas tão-só por três dias, nada de mais… depois já a poderei apresentar a meus pais» tentou obtemperar, ainda.
«Chama por ela, Corta-línguas» rogou o nobre, já de olhos marejados «Por favor…».
«Por duas vezes lhe expliquei os seus planos, meu amo. Mas ela não acede.» encolheu os ombros «Aliás, ela pretende que Vossa Mercê se junte a ela, nas profundezas marinhas. Diz que conhece uma bruxa do mar, capaz de vos transformar as pernas numa bela cauda de peixe. Sem quaisquer dores ou padecimentos…» relatou.
«Essa é que era boa! Eu? De rabo de peixe? Era o que faltava… olha que esta…» desdenhou o jovem. «Anda lá, chama por ela outra vez, Corta-línguas… à terceira é que é de vez…» ordenou, enxotando-o com adamanes, para ao pé da amurada.
Resignado, o Corta-línguas pegou no búzio e quando se preparava para tornar a cornetar, reparou que a sereia continuava por perto, observando o navio, debaixo de água. Assim que o viu de búzio nas mãos, subiu à superfície. Ansiosa, trissou:
«♬ E então? Já ganhou juízo, o meu príncipe? ♬»
«♫Tem dó, filha do Mar. Ao meu senhor não basta ter uma cauda de peixe. Ele não consegue respirar debaixo de água. Tu bem que podes respirar dentro e fora dela, mas ele não! ♫» pleiteou o tradutor.
«♫ Já sabia… Eu já sabia» barafustou a sereia «Vem sempre com desculpas… Sempre… não é capaz de fazer um sacrificiozinho que seja. Não!» rematou, amuada.
Mas antes que o intérprete pudesse dizer fosse o que fosse, a mulher-peixe voltou-se para o encarar «♫ Quando se ama uma pessoa faz-se sacrifícios por ela. Quantas vezes não me esfolei sentada, em escolhos e rochedos, para nos encontrarmos? Quantas vezes não ressequei ao sol? Constipei-me noites sem-fim, à custa dele… E ele não é capaz de se livrar daqueles penduricalhos horrorosos, por mim?» cruza os braços, abespinhada. «♫ Diz… diz-lhe que não posso ser sempre eu a ceder. Ele também tem de fazer sacrifícios, se quer levar esta relação avante ♫» pediu a sereia
«♫Menina das ondas… tem dó… ele não é capaz de respirar debaixo de água» tornou
«♫ Chega! Estou farta de desculpas parvas. Eu… eu também gosto dele… eu quero ter os alevins dele, mas como é que vou fazer isso se ele não pode ir à desova? Vou pôr as minhas ovas onde? Na boina dele?»
«Corta-línguas, então? Ela aceita?» intrometeu-se o Duque, impaciente.
«Está a recalcitrar, senhor. Ela está… está mesmo enfadada consigo»
«Às coas!» gritou o Duque, voltando-se para os marujos «Não ficai aí especados, às coas! Já disse.» ordenou, apontando para as redes. «Ai ela está com coisas? Vou enfiá-la num tanque por um mês, a ver se ela não muda já de ideias…»
Os marujos ficaram quedos. Sem saber o que fazer. «Capitão, que se passa com a chusma? Engajaste uma pandilha de moucos?»
«Meu senhor, a chusma recusa-se a apanhar a sereia. São gente simples, sabe… cheia de superstições e abusões de marinheiro…. Macaquinhos no sótão, sem pés nem cabeça, é certo… Mas, estão convencidos de que se apanharem a sereia vão enfurecer os mares…»
«Enfurecer os mares?»
«Sim, excelência, o grosso da chusma são pescadores e eles temem que o povo do mar se revolte contra eles se se souber que eles andam a raptar sereias…»
«Cambada…» vociferou o príncipe «Fica sabendo, quando atracarmos vou mandar-vos açoitar. A todos. Ides encher-vos de tantos vergões que até as camisas na pele vos hão-de doer» ameaçou
«Por favor…» o Corta-línguas pediu silêncio «Ela está a dizer qualquer coisa»
«♫ Já me chega» resmoneou a sereia «Vou-me embora. Dragomano, diz ao meu príncipe que se decida de uma vez.» inquieta.
De seguida, acrescentou ainda «E diz-lhe que eu sou uma sereia séria. Não vou andar com ele por aí, feito estrela-do-mar de quatro braços. Se só ele quer andar por aí na marmelada nos areais, há outras sereias sirigaitas, que de certeza que não se hão-de importar.»
«♫ filha do Mar… por favor...»
«♫ Ei! Ainda não acabei. Sou uma sereia adulta, casadoira, preparada para desovar. Se ele, deveras, me ama, então que arranje uma cauda de peixe e guelras, como um tritão normal. Caso contrário, já não quero saber dele para nada. Conta-lhe.» intimou
O Corta-línguas reproduziu o ultimato da sereia o melhor que pôde.
«Ah, insolente!» Barafustou o Duque «Olha, diz-lhe que vá bacalhoar, então» e virou costas
«♫ Ele que respondeu?»
«♫ Não quer a cauda» encolheu os ombros o tradutor
«♫ Ai é?... polvos o fodam» e submergiu, com um chapo violento
submitted by Upa-upa-puxadote to escrita [link] [comments]


2019.09.01 16:11 Cine81 Perdoar é difícil

Namorei por um ano com uma garota maravilhosa, mas no meio do caminho a depressão se instalou nela e eu tentei a todo custo ajuda-la. Nada surtiu efeito. Tivemos momentos muito bons, mas também tivemos momentos horríveis. Algumas vezes consegui acalentá-la e fazê-la se sentir bem. Em outros momentos perdi a paciência e fui grosso. Tirei ela de crises de pânico, abracei ela nos momentos de maior fraqueza, confortei dizendo que tudo ia passar. Mas no processo me enfraqueci e quase fiquei doente também. Começaram as brigas, nossa paz acabou, o ciúme dela se tornou insuportável e apesar de amá-la demais eu me distanciei. Ela acabou o namoro. Continuamos amigos, nos encontravamos com frequência e isso fez com que eu não superasse ela na minha vida. Ela traçou novos planos e aos poucos foi saindo da depressão. Mudou de país, foi buscar uma vida melhor. E por mais que isso doesse em mim, eu sabia que era o melhor para ela. Por mais que doesse em mim, houveram vezes que eu pedi a Deus: “Se eu não puder fazê-la feliz, que ela possa ser feliz em outro lugar”, afinal ela chegou a cogitar querer estar morta algumas vezes e aquilo me assustou muito.
Ela foi morar fora e mantivemos nosso contato por internet, e mais uma vez eu não lutei para superá-la Eu apenas alimentei mais o sentimento de amor dentro de mim. Enquanto isso ela viva mil experiências num curto espaço de tempo. Conheceu gente nova, arrumou novo emprego, sofreu tristezas e passou dificuldades financeiras, e eu sempre aqui, servindo de porto seguro. Me sentia feliz de dar forças a ela quando ela estava para baixo. E quanto mais eu fazia isso com ela, mais eu pensava: “Eu não estou construindo nada com essa mulher. Ela está cada vez mais distante”. E assim eu soube que ela estava começando um envolvimento com alguém enquanto eu permiti que minha vida se mantivesse estagnada. E assim, um dia, sentindo um desequilibrio enorme e uma fraqueza sem tamanho, tomei uma decisão. Liguei para ela e confrontei: - Você não quer mais voltar para o Brasil né? - Eu... não sei... - eu preciso de uma resposta. - ta bem... ta bem... agora não. eu preciso fazer dinheiro aqui. - Então acabamos de vez certo? - euu... -e ela enrolou como se não quisesse dizer - eu preciso da resposta! - ta bem... acabamos.
E assim eu desliguei o telefone. Primeiro em paz comigo mesmo por ter feito a coisa certa, logo em seguida a euforia deu início a tristeza do luto que eu me neguei de enfrentar por tanto tempo. A mulher que eu tanto amei, e que por muitas vezes alimentei um sonho de casamento e de uma vida conjunta não está mais disponível. Não terei mais os sorrisos alegres de quando ela estava bem, não terei mais a visão que ela me dava de mim mesmo. Muitas vezes, através dos olhos dela, eu me sentia uma pessoa incrível. Assim como ela dizia que o amor que ela sentiu por mim foi o mais puro que ela sentiu em toda a vida dela.
É tão difícil perdoar. Primeiro perdoar a ela, pois em alguns momentos me senti usado. Mas é ainda mais difícil me perdoar por ter me permitido gastar tanto tempo cuidando de outra pessoa que iria virar as costas para mim depois de tudo isso. Desde o início, eu perdi o foco de que eu deveria ter estado em primeiro lugar para mim mesmo, devia ter deixado ela partir sem cerimônias, sem reencontros, sem meu suporte, afinal ela é uma mulher adulta capaz de fazer as próprias escolhas e enfrentar os próprios problemas. Se ela tomou a decisão de ir embora, eu nunca deveria ter apoiado, eu deveria apenas permitir que ela seguisse o caminho dela . Quero me livrar de toda a culpa, de toda a mágoa, de todo peso de não tê-la mais por perto, de todo ciúme, de todo desejo de saber que as coisas poderiam ter acontecido de outra forma, e de toda culpa pelos milhões de erros que eu cometi, e também de toda raiva pelos milhões de erros que ela cometeu.
Quero aprender a ter leveza no deixar partir. Que essa dor se transforme em tristeza leve, e que essa tristeza leve se transforme em aprendizado.
submitted by Cine81 to desabafos [link] [comments]


2017.12.09 20:07 brotocarioca Aquela pessoa que você nunca esquece

Senta que lá vem textão. Fiz esse perfil fake apenas pra jogar meu desabafo aqui na massa sem o perigo de dar ruim pra mim (assim espero).
Queria saber se é normal e principalmente ouvir se algo do tipo já aconteceu com algum de vocês. Eu tive uma namorada de muitos anos que entre indas e vindas (muitas) já se vão 12 anos. A gente se conhece desde que nasceu, literalmente. Minha mãe e a mãe dela são amigas de colégio, nossa idade difere em meses e morávamos no mesmo prédio. Quando a gente era menor, não íamos muito com a cara um do outro porque nós somos muito diferentes em tudo, principalmente na personalidade, mas sempre levei isso como coisa de muleque e nunca dei muita confiança.
Quando tínhamos 15 anos começamos a namorar com tudo que tinha direito, mas aquele namoro mais sossegado e que mesmo assim durou um pouco mais de 2 anos e foi aí que caí na armadilha de querer curtir a minha vida de solteiro no fim da minha adolescência e início da vida adulta. Vulgo 18 anos. Terminei com ela por causa disso e me arrependi 5 dias depois, óbvio que quando tentei voltar ela já não me quis mais. Personalidade é uma coisa que eu admiro numa mulher. É bom deixar claro que fiz muita "merda" (nada ilegal) durante todas as vezes que fiquei solteiro, principalmente passar o rodo onde não devia. Fazia isso porque era muleque imaturo e bem inconsequente.
Fingi que deixei isso pra lá e fiquei um ano fazendo tudo o que queria até que um dia a gente se reaproximou e voltou a sair. Meses depois ela terminou comigo por causa de uma fofoca que uma amiga em comum nossa fez. Puta treta, ela ficou mais de um ano sem olhar na minha cara. Tudo bem, eu tava errado, mas porra que merda isso.
Pouco tempo depois decidi que eu ia consertar tudo isso e depois de muita insistência consegui. Ela me fez comer o pão que o diabo amassou pra decidir se poderia me dar um voto de confiança, até que namoramos por mais uns 2 anos. E entre vários motivos diferentes (nenhum relacionado a traição, violência ou qualquer coisa pesada) fomos terminando e voltando durante os anos, mas nunca me pareceu mesmo definitivo. Sempre tive certeza que ela era a mulher da minha vida e a gente ia fazer um filho a qualquer momento.
Até que quase dois anos atrás terminamos "de vez" com um motivo mais sério porque eu não achava que tava na hora de noivar ou coisa do tipo, ela queria e então a gente terminou. Nunca me vi casado, apesar de já não ver atrativo na vida de solteiro (já to com 27 anos). A ideia de dividir o espaço o tempo todo que era mais aterrorizante, continuava gostando dela do mesmo jeito e querendo ficar com ela do mesmo jeito, mas assim não tinha como. Nunca soube explicar isso e até hoje fico pensando porque fiz isso. Já fui ao médico procurando saber se sou bipolar e pior que não.
Então resolvi comprar um ap e me mudar. Saí do bairro, na época troquei de emprego e então teoricamente não tínhamos qualquer vínculo na rotina para me aproximar dela. Não adiantou de nada. Tentamos todas as coisas que sabíamos que não ia dar certo: ser amigos, mas nunca dava certo porque não somos só amigos e nunca vamos ser. Fuck buddy: que nunca deu certo porque tem muita história envolvida e sempre gerava dr e alguém acabava prejudicado. Conviver socialmente se tornou insuportável porque como crescemos juntos, nosso ciclo social é muito próximo. Meus melhores amigos, meus primos e até minha mãe são muito próximos dela então comecei a me afastar de todo mundo (amigos). Imagina como é ir num bar com a tua ex e ver os caras chegando nela, ainda mais que ela é mo gata. Não posso reclamar, mas também não sou obrigado a ver.
Não sigo em redes sociais, não tenho o telefone dela mais. Apesar de saber onde encontrar, evito ao máximo passar em qualquer lugar que ela possa estar porque sei que vou ficar mexido e vou acabar estragando meu relacionamento atual. Nem confio em mim quanto a isso.
To namorando outra garota há um ano e teoricamente tá tudo bem. Sempre tá tudo bem, na teoria ela é perfeita mas não é a outra. Nunca consegui explicar, não sei dizer o porquê mas não tem um dia que eu não pense na outra, mesmo sem ver ela há mais de um ano. Tudo que a mulher faz me atrai, o jeito que ela fala, o cheiro da pele, o cheiro do cabelo, os detalhes dela em geral. Nunca encontrei uma mulher igual. Parece feitiço, a mulher tem um poder absurdo sobre mim sem precisar fazer nada e olha que sempre fui bicho solto. Nunca dá certo e mesmo assim eu sempre quero arriscar de novo. Acho que isso não seja normal, mas não sei o que fazer. Sinto bastante culpa por estar namorado outra mulher e isso ainda passar na minha cabeça. Ir lá e tentar estragar a vida dela também nem tenho coragem.
tl;dr: terminei com a minha ex há dois anos e nunca consegui esquecer. Não sei como ela faz isso. Acho que nunca vai passar.
submitted by brotocarioca to brasil [link] [comments]


Coloquei uma Câmera Escondida e Peguei Minha Esposa No ... Mujer lleva casi un año sin depilarse y dice que se siente ... 15 Cosas Que Las Mujeres Maduras No Hacen En Las ... - YouTube AUTISMO no ADULTO  Lives NeuroSaber Mujer madura de infarto, señora bonita y de buen cuerpo ... Síndrome de Asperger: os sintomas na mulher adulta (Parte ... 7 CENAS ADULTAS NA ANIMAÇÃO JOVENS TITÃS EM AÇÃO! - YouTube Mujer mantenia relaciones con su perro - YouTube MUJERES CON MIEMBRO VIRIL: La clitoromegalia. Clitoris ... lesbicas-Amor entre Professora e Aluna - YouTube

  1. Coloquei uma Câmera Escondida e Peguei Minha Esposa No ...
  2. Mujer lleva casi un año sin depilarse y dice que se siente ...
  3. 15 Cosas Que Las Mujeres Maduras No Hacen En Las ... - YouTube
  4. AUTISMO no ADULTO Lives NeuroSaber
  5. Mujer madura de infarto, señora bonita y de buen cuerpo ...
  6. Síndrome de Asperger: os sintomas na mulher adulta (Parte ...
  7. 7 CENAS ADULTAS NA ANIMAÇÃO JOVENS TITÃS EM AÇÃO! - YouTube
  8. Mujer mantenia relaciones con su perro - YouTube
  9. MUJERES CON MIEMBRO VIRIL: La clitoromegalia. Clitoris ...
  10. lesbicas-Amor entre Professora e Aluna - YouTube

AUTISMO no ADULTO, como lidar? Gostou desse vídeo? ----- 🗣 Deixe seu comentário. 😉 Compartilhe com os amigos. 🕵 E siga a NeuroSaber ... Video dedicado as mulheres que gostam de mulheres... Em breve, mais.. [email protected] Mujer mantenía relaciones con su perro: breve historia y antecedentes de la zoofilia y dos casos de personas que tenían relaciones con sus animales. NOTA. Es... Lista dos sintomas da Síndrome de Asperger na mulher, feita por Tania Marshall: http://mulheraspie.blogspot.com.br/2014/01/mulheres-aspies-mulheres-adultas-c... Coloquei uma Câmera Escondida e Peguei Minha Esposa No Flagra Muchas mujeres piensan que están en una relación madura cuando en realidad no es así. Si bien cada relación puede traer problemas únicos, hay cosas que son u... Hola buen dia! les presento a Paloma Goñi una mujer que no le tiene miedo al que diran: Soy una de esas mujeres que odia depilarse. No sé si hay muchas por a... Mujer madura de infarto, señora bonita y de buen cuerpo modelando sexy bikini Colaboradores : Rastrear Cualquier Celular Online sin Aplicaciones https://www.... Se trata de una condición medica en la que el clitoris crece en forma desproporcionada. MUJERES CON MIEMBRO MASCULINO: La clitoromegalia. Clitoris gigantes. ... 7 CENAS ADULTAS NA ANIMAÇÃO JOVENS TITÃS EM AÇÃO!